Sobre 2007.

Leia. Não vai se arrepender. Ou vai.

Vejamos, foi acima de tudo um ano bem interessante onde sem dúvida aconteceram mais coisas boas que coisas ruins, coisas surpreendentes, coisas inesquecíveis, coisas sem importância, coisas estranhas, coisas sem sentido, coisas esperadas… Enfim, coisas…

Um ano que começou bem na faculdade, terminou bem. Comecei no 3º período, e terminei… no 3º período? No meio do ano acabei ficando retido por cagada ironia do destino, e tive que começar a estudar de manhã e a noite quase todos os dias, aliás, isso foi deverás chato. Acabei me separando (ficando em outra turma) de alguns amigos (e fazendo outros, aliás), mas isso não quer dizer muito, ano que vêm me juntarei a alguns novamente, dessa vez no 4º período! Já que finalmente segui adiante, me livrando de todas as minhas dependências e ganhando carta branca para seguir a faculdade até o fim dessa vez. Ou assim eu espero.

Foi também o ano em que consegui assistir á um show de minha banda preferida, Less Than Jake. Não existe melhor definição que SENSACIONAL para o show e os eventos envolvidos. Em primeiro lugar fui pela primeira vez a São Paulo, maior cidade do Brasil, etc etc; isso não importa, o que importa é que fui até lá, sozinho, com a cara, a coragem e uma mala azul, e chegando lá foi deverás agradável (apesar de eu me sentir acuado?); após alguns tours eis que veio o show, com Sapo Banjo (apesar de que não vi), Dead Fish (irrelevante), Buzzcocks (ótimo, muito bom) e finalmente… Less Than Jake! Sensacionalmente inesquecível. Ainda tenho o ingresso guardado na carteira, e lá ele ficará.

Mas essa não foi a única parte inesquecível da viagem. Foi quando também, pela primeira vez em 7 anos pude conhecer meu ídolo, meu dj-particular e, sobretudo meu brother… Kalleo” Twofface”Coura. Esse cara é um brincalhão! Esse era sem dúvida um dos objetivos de minha humilde vida… Ok, exageros a parte, foi sensacional poder finalmente conhecer alguém que eu considero tanto. Além disso, pude também conhecer outras pessoas que sempre considerei muito, sempre admirei, mas nunca havia visto, Luiz “Gandalf” Henrique, Telo “Telo” (???) e Anderson “Derso larvinha” Uehara*. E como desgraça pouca é bobagem pude conhecer também o Jimmy, Bakker, Herbert, e de quebra, Taty e Érika… Mas isso é outro parágrafo…

* = Não vou falar especificamente sobre cada um, pois são pessoas que conheço a anos, e sabem o quanto as admiro.

E entre viagens e dependências a vida segue e o jogo continua, falando em jogo, foi um ano de mais algumas peladas e partidas de futebol, futsal, whatever… Algumas boas, outras ruins, mas o que vale é diversão! …Não? Sim! Pude ter a honra desgraça de jogar ao lado dos já citados conhecidos de São Paulo, não importa quem ganhou e quem perdeu, foi legal, me quebrei, mas foi legal. E nas demais quase sempre os mesmos, porem importantes jogadores, Rafael, Andrei, etc… Bom, houve também mais uma vez o torneio inter-classe, que até foi bom, talvez exceto pelo fim, onde sofremos um duplo revés de falta de jogadores e perdemos; na raça; mas perdemos. Fazer o que…

Ainda na linha de esporte, até que foi um belo ano para o futebol! (Mas uma vez falando sobre, se não gosta, favor passar para o próximo parágrafo, grato.). Ok, começou mal com o campeonato paulista, mas depois as coisas melhoraram… No meio do ano já pude ter a primeira felicidade… Manchester United campeão inglês! Que honra, que orgulho, que satisfação ver o troféu de volta ao lugar ao qual pertence! Porém, a vida é uma caixinha de surpresas, e tive que ver o mesmo Manchester ser eliminado da Champions pelo Milan… Grande coisa… Depois ainda tive que ver o São Paulo ser eliminado da Libertadores pelo Grêmio… Grande coisa, não ganhou mesmo… Mas daí pra frente foi só felicidade! Foi ver o São Paulo conquistar o pentacampeonato! Imbatível, inigualável, fabuloso! Provando ser (como todos já sabem) o maior clube brasileiro! Que orgulho, que satisfação que alegria! E que venha o 6-4-4! Com Imperador e tudo. Outra coisa foi legal e interessante também ver o Dunga como técnico da seleção, e pior, sendo campeão da Copa América com uma seleção desacreditada! Ah, claro… Internacional who?

Mas, ninguém aqui em casa deu muita importância á isso, ou se deu não demonstrou. Aliás, falando sobre minha casa, também foi um ano interessante… Eu aqui no meu velho e querido banco, por queeee? Whatever porque… Tivemos vários hóspedes (entenda-se ‘moradores honorários’) diferentes, alguns por 1 dia, alguns por semanas, outro por meses? Nosso querido aspirante Diogo, o macabro Lucas, a grande pequena? Mel, e os quase da família Mih e Alexandre… Além dos demais, cada qual com sua permanência e importância…

Falando em Mel, prometi um parágrafo para ela (deixemos claro, escrevo não só por que eu prometi, mas por que ela merece!), eis uma pessoa que de um dia para outro se tornou extremamente presente em minha casa, vindo quase que diariamente aqui para comer de graça tomar café, conversar com a Lari, fazer qualquer outra coisa, ou, pacificamente (deverás pacificamente, aliás) jogar truco. Mas, não há o que reclamar, apesar de toda a calma demonstrada, eis uma pessoa inteligente, divertida, simpática, amigável que merece todo meu respeito. Mel, pequena no tamanho, grande no coração.

Mais um que foi citado, e que deve ser comentado: Alexandre. O que dizer sobre? Bem, em primeiro lugar, confesso que não gostava muito do ser em questão no começo (já falei que não confio em quem usa All-Star?), até tinha uma certa desconfiança (quem sabe sobre o que estou falando, sabe sobre o que eu estou falando… (?)). Mas hoje devo confessar que é uma pessoa por qual tenho admiração, simpatia e respeito, e acabou tornando-se um grande amigo, conselheiro, cozinheiro, parceiro de truco e é claro, cunhado! Alguém que definitivamente, tornou-se presente, e por que não fundamental em nossas vidas! E depois de idas e vindas, acabou tornando-se uma pessoa importante aqui, e espero que continue assim (pelo bem geral da nação…). Gosto dele mano, muito.

Aproveitando, a “nação” está se desenvolvendo bem… Esse ano consegui um feito importantíssimo… Briguei quebrei o pau menos com a Lari (aliás, “Nana”, não posso chamá-la de Lari (?)). Mas isso não significa que não tenhamos brigado, afinal ainda somos irmãos… Mas, brigas a parte devo dizer que foi um ano que a cada dia mais e mais meu respeito pela minha irmã cresceu, não só meu respeito, mas também minha admiração, empatia, preocupação, gratidão, harmonia e… amor? (Não vou repetir isso… … Mas… Está escrito… Ah, whatever…). O que importa é que tudo tem corrido bem entre nós e para ela, depois de um ano difícil dividido principalmente entre TCC e pós-TCC.

E como não falar de pessoas sem citar um grande amigo e parceiro que veio de não-se-sabe-onde e de repente tornou-se presente em nossas vidas. Lucas “DiaboVerde” Bernardo… Falando sério, nunca conversei muito com o ser em questão, mas de um tempo pra cá ele acabou virando um grande amigo… “Um dos melhores se me permite dizer”. E, não sei como, quando vi lá estava eu indo doar sangue com o ser, e pior, indo furar a orelha para por brinco… What the hell? E bem, dentre idas e vindas, trabalhos e cafés, worms e ternos, animes e músicas, ensinamos um Diabo a jogar truco! E alem de tudo isso, eis um parceiro para meus planos diabólicos, ok, não tão diabólicos… Interessante… Deverás.

Ah, menção honrosa às partidas de truco! Intermináveis como sempre, roubadas como nunca… E viva os sinais errados, ‘truco’ em mão-de-onze, ‘Marta-Wannabe’s, tentos-fantasma, ‘copas’ inúteis e 5 de Ouros marcado!

Falando em Marta-Wannabe… Marta… É, foi interessante (e legal também). Devo dizer que não me arrependo de nada, e também não guardo magoas ou rancor algum. O que aconteceu, aconteceu, nada vai mudar isso, então só posso agradecer e torcer para que cure sua ferida… Ah, e fantasmas não saem só à noite. Fato.

O que mais escrever… Vejamos… Eu? …Ah sim, como escrevi antes, em determinado momento (as palavras “sem pensar” caberiam aqui), fui furar a orelha e colocar brinco… E coloquei! Um verde. … Interessante! Não é tão ruim e nem gay feio. Curti e vou ficar com ele, ao menos enquanto minha orelha durar (já quase se foi uma vez… Whatever). No mais nada mais mudou… A pele continua branca, o nariz continua grande feio e o cabelo continua crescendo (aliás, vai, por algum tempo).

Ah, fato interessante é que durante quase 1 mês fiquei com as costas detonadas, ao ponto de não conseguir nem andar direito… Felizmente agora está tudo certo, felizmente mesmo! Caso contrário eu não poderia levantar a Rafa… Ahhh claro, Rafa! Companheiro de apartamento e de abraços, pessoa confiável para contar as coisas ou só falar porcarias… Esse ano, apesar de tudo, sei que melhorei minha relação com ela, apesar de sem dúvida ter incomodado e muito com o ‘Tropa de Elite’, ela se tornou uma boa pessoa com quem morar, com quem compartilhar e a quem abraçar. Mesmo que eu tenha jogado suco de morango silvestre nela. *abraço*.

Já que falamos sobre imagens, falemos sobre sons! Musicalmente o ano foi deveras bom… Fui ao já citado show do Less Than Jake! Mas perdi o show do Killers (isso ainda é outro parágrafo), aliás, algumas bandas novas surgiram em meu HD… The Killers, Godsmack, Breaking Benjamin, Reel Big Fish, Kaiser Chiefs, Tsunami Bomb, The Fratellis, The Zutons, The Cribs, The Academy Is…, Skatalities, Ska-P, Hot Hot Heat, Keane, Negramaro, Les Cowboy Fringants, Phantom Planet, Ramones, Rancid, Chemical Brothers, Beatles, P.O.D., Arctic Monkeys, e eventualmente alguma outra que eu tenha esquecido… Mas foi bom, portanto elas merecem ser lembradas.

Bandas a parte, existem várias musicas singulares que com certeza me trarão lembranças deste ano… ‘The Reason – Hoobastank’, ‘Way Back Into Love’ e ‘Don’t Write Me Off’ – Hugh Grant’, ‘Only Yesterday – The Carpenters’, ‘You Are My Number One – Smash Mouth’, ‘Voodoo – Godsmack’, ‘Whristle For The Choir – The Fratellis’, ‘Dress Up In You – Belle & Sebastian’, ‘Brighter Than Sunshine – Aqualung’, ‘Everything – Lifehouse’, ‘The Game – Motorhead’, ‘Delik – Chemical Brothers’, ‘Rain – Breaking Benjamin’, ‘Seven Nation Army – The White Stripes’ … É, acho que é isso.

Ouvi algumas músicas que nem me lembro quais eram também, mas estas foram em festas, aliás, menção a elas! Munchen, apesar de eu ter ido poucos dias, foi divertido… Algumas vezes frustrante, mas ainda sim divertido (A propósito, abraço ao Leandro… Genial, simplesmente genial!). Mas, menção especial á formatura pouco antes de eu ir embora de PG. Deverás boa… Músicas legais, companhias legais, fatos legais e pessoas legais (mesmo que, algumas não tenham sequer falado comigo =));

Já que é pra lembrar ou citar tudo, vamos falar sobre comidas. Ano deverás interessante. Interessante mesmo foi ficar “amigo” do atendente do Bibas, ao ponto de só falar o ponto de referencia do endereço, e o mesmo já sabia o pedido, endereço e troco. É estranho. Bom, não tem muito que escrever sobre comidas (faço Sistemas, não Alimentos(…)), apenas citando a pior coisa que comi: Damasco (casa do Kalleo, em São Paulo); e a melhor coisa: Pão Brioche e Bife (feito pela Lari). Menção mais que honrosa ao “Bolo Mágico” feito pelo Alexandre e Lucas… Não sei como ainda estou vivo, mas estava bom. E acho que o santista deve estar sentindo nossa falta..

Outro fato, e pessoa que merece ser citada é uma jovem chamada Cris. Depois de um bom tempo sem contato, eis que ela ressurge um belo dia, com novidades, dizendo que ia se mudar para Florianópolis e coisa assim. Interessante, e inesperado. Bom, ela merece ser citada por que me preocupo com ela, gostaria que tudo desse certo para o ser em questão, e a considero muito, por isso sempre fiz o que podia, e vou continuar fazendo. E quem sabe, não nos encontramos someday, somewhere?

Ah, mais uma menção honrosa, duas na verdade. A primeira para Samuel “Samuka” Barth, amigo e inútil como sempre… Continuamos sempre presentes, mesmo que não seja como antes afinal o tempo é cada vez mais curto… A segunda para Israel, que, mesmo estando ausente ou menos presente ainda é um belo amigo e, por que não, conselheiro… Eis um ser que pensa como eu e às vezes age como minha consciência quando esta me falta. Recado escrito. Abraços.

Outra coisa que merece ser citada foi que, por um motivo, fiz uma lista de coisas para fazer antes de morrer. Não que tenha mesmo mudado alguma coisa no meu ano, mas foi interessante também. Por alguns dias eu pensei tudo (não exatamente tudo) que queria ter feito ou que gostaria de fazer e as listei. Uma lista. 47 números. 47 não é um número tão baixo, se considerarmos tudo que existe na lista é bem alto. Falando em números eu só consegui riscar 2 itens da lista (números 6 e 20). Espero que em 2008 consiga riscar mais…

Comentário rápido: Achei o que eu estava procurando. Perdi. Achei que achei. Perdi o que achei que tinha achado. E a busca continua!

Ah, esse ano consegui alguns objetos os quais para mim tem valor incalculável, não economicamente, mas pessoalmente falando… Seja o que for, se tem algum significado, pode ter certeza que ficará guardado. Por hora alguns são: Caneca do São Paulo (apesar de ter quebrado um pedaço… Oh hell…); Moeda de 100 yens; Correntinha com um pingente…; Origami de Tsuru (que não deu muita sorte); Brinco verde. …Só não me perguntem ‘por que?’. Ah sim, e me desfiz de um também: Uma das minhas fitinhas. Pra falar bem a verdade não sei se ainda existe, mas que foi pra quem devia ir, foi…

Bom, listas, pessoas, objetos e músicas a parte, algo que merece ser citado também é a perda da minha essência, só quem convive muito comigo sabe do que estou falando, e sabe qual é minha essência, e também sabe que a perdi de uns tempos pra cá. É difícil explicar, portanto não vou entrar em detalhes, mas fiz coisas das quais não me orgulho, mas também não me arrependo. É interessante ver “até onde vai a toca do coelho”, mas nada alem de interessante… O que eu fiz, o que eu deixei de fazer, não importa, o que importa é o que eu VOU fazer… O que é eu não sei, só sei que vou recuperar minha essência, alias, criar outra, melhor, com os pontos positivos e sem os pontos negativos de como ela era. E tenho dito, e ninguém tem entendido…

Antes de partir pro final, não tenho como não falar de duas novas pessoas que também conheci em São Paulo. Primeiro: Taty. Eis aqui uma pessoa ‘parceira’, que sempre me ajudou quando precisei, sempre me deu uma bela mão, me aconselhou, fez favores e etc, uma pessoa que eu sei que poderia contar, e ainda posso, eu acho, isso depende… A outra: Cami. Uma pessoa que eu não conhecia, nem sequer falava direito… Mas apesar de conversarmos pouco, acabou se tornando uma pessoa por quem eu tenho um respeito e simpatia enormes, e, alem de tudo, é uma pessoa que eu penso que pensa como eu, ou algo bem próximo… Eis duas pessoas por quem tenho muito respeito e apreciação!

Já se passaram mais de 20 parágrafos, e eu ainda não falei sobre talvez o que, ou quem, me foi mais importante no ano… Vou ser sincero, é difícil escrever sobre isso sem tocar em assuntos delicados ou usar palavras injustas, mas vamos tentar… Afinal, não é costume deixar o melhor pro fim?

Cada evento, cada pessoa, cada fato está ligado de algum jeito á uma única pessoa…

Pode ser que venha á expressar muito sentimentalismo, seja errado, mas não posso encarar isso com outros olhos, senão os meus verdes…

Da primeira vez que fui pra São Paulo, acabei conhecendo várias pessoas, uma delas acabou um tempo depois se tornando tão importante como nenhuma outra jamais foi… Ainda é, mas não como antes, infelizmente…

Uma vez, surgiu a conversa:

“- Sua vida vai dar um belo livro”;

“- Eu não sou boa escritora”;

“- Então você precisa de um bom editor”;

“- Você é editor?” ……

E, por um tempo, escreveu-se uma bela página, com encontros, frases bonitas, uma boa trilha sonora, fatos, fotos e tudo que uma boa historia têm. Tudo? Sim. Inclusive, toda boa historia também tem um momento de tensão, que tudo parece perdido, que as frases não têm o mesmo sentido, nem as músicas a mesma melodia… E essa não foi diferente…

É difícil dizer como, mas o que começou com conversas casuais, com opiniões sobre um corte de cabelo, acabou se tornando algo tão… não sei , mas que apenas conversas não eram mais suficientes… O livro precisava de novos capítulos, precisava de novos cenários, precisava tomar outro rumo… Mas… Não podia…

Eu disse que não me arrependo de nada… Mentira… Me arrependo de ter dito coisas cedo demais, ainda que fossem verdade (e eram), não era o momento. Também não era o momento de assumir nada. Isso só atrapalhou, só complicou tudo. Mas não sinto pelo que aconteceu. Tudo acabou indo pra um caminho onde só era possível seguir em frente, mas por caminhos diferentes…

É… É isso… Acho que já é o suficiente (ainda que eu não tenha escrito tudo que eu queria). E os que não foram citados, não se preocupem, isso não quer dizer que não sejam lembrados.

2007. Ano interessante. Ano bom.

Adeus, 2007.

PS: Agora sim isso aqui parece um “Querido blog”…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: