A Regência do Caos

Hoje em dia muitas pessoas tendem a viver uma vida regida por regras e comportamentos pré-determinados, sempre tentando fazer o que é certo ou ao menos o que é justo. Estas pessoas acordam todos os dias pensando onde devem ir, o que devem fazer, como devem se comportar, mas não apenas isso, elas pensam também, mesmo que inconscientemente, onde não devem ir, o que não devem dizer e o que não devem fazer, para afinal, viver uma vida justa perante a sociedade sob um conceito desconhecido. Felicidade? Não, felicidade pode ser alcançada de muitas maneiras.

Do mesmo modo que uma pessoa comum sente-se realizada em trabalhar e ao fim do dia passar algum tempo com sua família para depois dormir em paz, existem aqueles que sentem-se realizados cometendo crimes, assaltando, matando, e no fim do dia conseguem dormir em paz do mesmo modo. É claro, há exceções, há aqueles que não conseguem lidar com isso, sentem-se mal, perturbados, incompletos. Entretanto, uma pessoa comum também pode sentir-se assim fazendo coisas comuns.

Felicidade então não é o que se busca nem o que se ganha vivendo sob a lei da justiça e da ordem.

Vive-se sob estes conceitos com medo. Medo da desordem e injustiça, medo do desconhecido e do errado. Vive-se sob o conceito que quanto mais certo você fizer as coisas, menos coisas terá que enfrentar, menos batalhas terá que lutar e tudo será mais facil, somente pelo medo de se machucar e de não saber o que fazer. Mas, não existe certo, não existe errado, existe apenas opinião e perspectiva, o que é certo para determinada pessoa não é certo para mim e assim por diante, logo, vive-se apenas sob seus próprios conceitos, tentando fugir do que lhe fizer mal, e é ai que está o grande erro.

‘A noite é mais escura antes do amanhecer’, dizem. Deve-se ter medo? Medo da noite, medo do errado, medo do incerto, medo do desconhecido? Ninguém pode ser totalmente feliz ou totalmente infeliz pois cedo ou tarde as coisas vão mudar, e esta pessoa vai cair. Não há noite longa que não encontre o dia, mas também, não há dia longo que não encontre a noite, tudo sempre há de mudar cedo ou tarde. Bem e mal, certo e errado, lágrimas e sorrisos, tudo sempre encontra um equilíbrio.

E está é a beleza do caos. Equilíbrio.

Enquanto todos vivemos sob conceitos de tentar fazer o que é certo tomando cuidado com nossas ações e deveres basta um pouco de caos para que as coisas comecem a dar errado. Entretanto, é ai que o equilíbrio entre certo e errado é finalmente alcançado, tudo encontra-se exatamente onde deveria estar e do jeito que deveria ser, e isto, é algo extraordinário, admirável, perfeito.

Não estou dizendo que todos deveriam ser servos do caos e viver em função dele, apenas que não se deve ter medo das coisas darem errado. Não se deve viver para o caos ou contra o caos, simplesmente deve-se viver COM o caos.

O grande problema do caos é que as pessoas o temem, quando na verdade ele é algo tão belo e singular que deveria ser admirado. Muitos ainda tem medo de como as coisas seriam se dessem errado, muitos tem medo de cair, de falhar, de ir alem, e quando vão, se veêm desesperados, com medo, irritados, ao invés de simplesmente aproveitarem a viagem e tentar tirar algum proveito disso. Algo completo só é realmente completo quando tiver tudo que precisa ter. O bem jamais existiria se o mal não existisse, assim como, o certo jamais existiria se o errado não existisse, ainda que nada seja completamente certo ou completamente errado. Ninguém pode saber contra o que lutar se não souber ao menos contra o que está lutando, para tal, para ser completo, deve-se conhecer os dois lados da moeda, deve-se encontrar o equilíbrio.

O caos nós dá esse equilíbrio. O caos É necessário.

É necessário para fortalecimento, para ver-se livre de todas as regras e conceitos que limitam o pensamento e coragem dos homens, é necessário para um pleno conhecimento do bem e mal, para saber contra o que se luta e pelo que se luta, é necessario para o equilibrio, é necessario pois é o unico meio de estar pronto para tudo e para todos, é necessario pois só se pode ver o amanhecer depois que a noite passar, para assim, da proxima vez que alguem passar pela noite saber que com certeza ela acabará. Não há mais medo, não há mais limite, não há dúvida.

Há apenas liberdade, regida pelo caos.

PS. Não há nenhuma relação com com a já conhecida ‘Teoria do Caos’.

PS2. Para mim, faz sentido.

4 Responses to “A Regência do Caos”


  1. 1 Lari agosto 9, 2008 às 6:26 pm

    Well… cair e lavantar! É assim que aprendemos a valorizar certas coisas (ou não).

  2. 2 Camiss agosto 15, 2008 às 1:59 pm

    Até pode fazer sentido..
    Mas ah..
    Acho que não sou eu q to com cabeça boa pra pensar nisso😛
    Pra mim, a escuridão parece que sempre dura mais…

  3. 3 Pedro agosto 22, 2008 às 5:22 pm

    Uma das poucas coisas realmente interessantes e proveitosas que já li na internet.

    Não existe certo ou errado, bem ou mal, bom ou ruim. Não existem lados, apenas pontos de vista.

    Gostei da sua definição de Caos. E acho que é parte da vida, e não adianta venerar ou odiar, basta aceitar que existe. A partir do momento que conseguir isso tudo se torna perfeitamente simples.

  4. 4 Francisco Fernandes dos Santos novembro 12, 2008 às 3:28 pm

    Eu concordo com você quando você diz que as pessoas tendem a viver uma vida regida por regras e comportamentos pré-determinados, sempre tentando fazer o que é certo ou ao menos o que é justo, As pessoas já acorda preocupadas com o dia de amanhã, o que na verdade elas deveriam se preocupar com o dia de agora.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: